Produtos e Serviços Profissionais Casas de Repouso

blog 60 mais ativa

Informação, dicas e novidades sobre o mundo da maturidade para você

Saúde
postado 10.10.2013 às 13:00 por Sylvia Lakeland
Compartilhe

Estimulando a visão periférica

Estimulando a visão periférica
Sabemos que a visão acontece pela ação simultânea de sensações, percepção e concepção.  Já Dr. William Bates, médico oftalmologista do Século XX, dizia que “a visão é um indicador da saúde física, mental e emocional do indivíduo”.

O cortex visual é programado a para responder aos estímulos visuais a partir dos dois meses de vida e ele necessita destes estímulos para se desenvolver normalmente. Assim constatamos que o cérebro é extremamente sensível pela entrada de elementos sensoriais. A retina de fato compreende cerca de 126 milhões de células foto receptoras que produzem cerca de um bilhão de imagens por minuto! O cérebro, não conseguindo assimilar todos os impulsos recebidos para formar uma imagem, faz uma seleção e define o que vamos ver e quanto podemos ver, ou seja, cabe ao cérebro definir a qualidade da visão.

O que causa má visão? Stress é a resposta imediata, a tensão crescente que provoca mais tensão nos olhos e, portanto menos visão. Além de fatores físicos vamos lembrar-nos das imagens mentais que resultam de nossos pensamentos conscientes e subconscientes. Os olhos têm respostas imediatas para nossos pensamentos e nossas emoções, além do efeito físico da fadiga ou dor. Assim, para cuidar dos olhos, é preciso analisar todos os aspectos envolvidos e neste percurso vamos nos descobrir a cada momento. É preciso estar alerta e aproveitar estes momentos, sempre.

Diversos exercícios específicos, entre eles, o piscar, o balanceio (swinging), olhar longe e perto contornando objetos (shifting) e exercícios com obstáculos, em ambientes claros e na escuridão total, são aplicados com a intenção de melhorar a nossa visão periférica. Que tal um pouco de balanceio? Vamos estimular a visão periférica e ampliar o campo visual enquanto descansamos a visão central. E não só.

O Balanceio básico:

          

De costas para o sol, ao ar livre, em pé, com as pernas separadas à largura dos quadris, joelhos ligeiramente flexionados, levar o dedo indicador cerca de 20 cm à frente do nariz e com um olhar suave, sem tirar os olhos do dedo, rodar o corpo de um lado a outro, num balanceio regular, como um pêndulo até alcançar os 180 graus.  

Observar de imediato que ao rodar para a direita, sempre olhando para o dedo, verá os detalhes do ambiente em movimento oposto, com sua visão periférica. Trocar de braço, de tempos em tempos, podendo também mudar o movimento do horizontal para o vertical: o dedo sobe e desce na frente dos olhos e manter o seu olhar fixo no dedo.

Quando se sentir seguro neste movimento, poderá suspender um calcanhar de cada vez quando girar o corpo, a fim de ampliar no movimento de rotação.

O exercício deve ser feito de 5 a 15 minutos, por sessão, e após alguns minutos lembrar-se de parar e fechar os olhos com as palmas das mãos por um minuto. Em seguida abrir os olhos e continuar por mais 10/15 minutos. Em seguida comparar a qualidade de sua visão, após os exercícios. Perceber mais nitidez e mais detalhes. O exercício pode também ser feito em ambientes fechados, com boa iluminação ou no escuro total.

O Balanceio Longo: quando já estiver bem habituado a este movimento e consciente das variações que sentir na sua qualidade de visão do panorama completo a sua volta, assim como do relaxamento corporal e mental que conseguiu, poderá fazer o mesmo exercício de olhos fechados, visualizando na sua imaginação o movimento de apostos do ambiente.

          

O mesmo exercício pode ser feito, agora sem levantar os calcanhares, ao desenhar grandes oitos “8” com o dedo, sempre a olhar para o dedo no foco enquanto muda o peso do corpo de um lado para outro. Trocar de braços com frequência. Com o mesmo movimento de balanceio pode fazer as grandes diagonais, sempre os olhos devem acompanhar o movimento do dedo.

Este e outros exercícios básicos para cuidar da visão periférica e não só, são praticados semanalmente nos Parques de São Paulo, nas Palestras e Eventos Especiais, nos Sábados Mágicos e sempre no Seminário Nacional. Aprenda, pratique, participe e inscreva-se nos eventos através do adijon@adijon.com.br.
comente

leia também

receba novidades em seu e-mail

cadastrar

e-mail cadastrado com sucesso, obrigado!

sobre nós divulgue seu negócio desenvolvido por Julio Guimarães