Produtos e Serviços Profissionais Casas de Repouso

blog 60 mais ativa

Informação, dicas e novidades sobre o mundo da maturidade para você

Aconteceu comigo
postado 07.03.2013 às 14:00 por Eduardo Bonini
Compartilhe

Minha avó caiu e quebrou a perna

Minha avó caiu e quebrou a perna
Esse é um relato verídico, vivenciado por um profissional de saúde, que no momento da queda da sua avó era apenas um neto preocupado.
 
“Eu, como neto, todo orgulhoso em poder utilizar os meus conhecimentos como fisioterapeuta e administrador hospitalar, orientei a família sobre os cuidados a serem tomados na prevenção de acidentes em casa. Pedi para tirar os tapetes, não encerar mais o chão, retirar os pequenos móveis e obstáculos do caminho, colocar barras de segurança nos banheiros e, além disso, contratar uma cuidadora disponível 24 horas por dia.
 
Todos esses cuidados, infelizmente não foram suficientes para evitar a queda da vovó. Um móvel antigo, lindo, lindo, lindo, um carrinho de bar do século passado foi o protagonista de mais um acidente, comum entre os idosos, que terminou com dois netos, o avô e o restante da família extremamente preocupada e mobilizada no processo. Quando acreditamos que havíamos pensado em tudo, faltou ainda um detalhe: esquecemos que o móvel tinha rodinhas. Aconteceu o que ninguém esperava, a vovó se apoiou nesse móvel com rodinhas e perdeu a estabilidade. Meu avô ligou pela manhã me dizendo... ‘Dudu, a vovó caiu e eu acho que foi um tombo feio’.

Eu preocupado, larguei tudo e fui correndo à casa dos meus avós. Encontrei a minha avó sentada na poltrona com uma bolsa de água quente na perna. Imediatamente pensei: quem foi que colocou ‘quente’ em um trauma? Joguei longe a bolsa de água quente e pedi uma sacolinha com gelo para iniciar a termo terapia correta. Cuidado: quando há um trauma, imediatamente deve ser colocada bolsa de gelo para conter o processo inflamatório agudo, reduzindo principalmente o edema. Fiz algumas perguntas chaves para ver como estava a ‘cabeça’ da vovó. Ela respondeu  de acordo com o que eu esperava, como uma senhora de quase 90, que possui doença de Alzheimer.

Pensei comigo mesmo, agora só com exames específicos e detalhados, como ressonância magnética, tomografia ou outros para saber com precisão se aconteceu algo mais grave.

Ela sentia fortes dores na região lateral da coxa, então me ocorreu que poderia ter havido uma fratura de fêmur. Como sabia da existência do plano de saúde, solicitei ao meu avô os documentos para levá-la ao hospital. Outra maneira viável é pedir socorro ao SAMU 192, caso a pessoa não tenha plano de saúde, ou o mesmo não tenha serviço de remoção.  Fica a dica: Crie uma Caderneta de Identificação e Saúde do Idoso onde deverão ser registradas todas as informações pessoais e de cuidados com a saúde que possibilitam à qualquer pessoa, seja um familiar, cuidador, socorrista, profissional de saúde, ter acesso à elas. 

Resolvi escrever este texto, para lembrar que precisamos prestar atenção nos mínimos detalhes, porque é só ter um pequeno descuido e acontece o inesperado. Agora a minha avó, com quase 90 anos, terá que realizar uma cirurgia extremamente invasiva e se expor a todos os riscos e desgastes provenientes da intervenção e da sua recuperação. Além de ter a família toda mobilizada por um bom tempo e preocupada com toda a situação.

Ah, mas o carrinho não quebrou. Preferia que fosse o contrário."

Aproveite algumas dicas importantes para evitar as quedas de idosos, Elas são mais frequentes do que imaginamos e podem se originar das situações mais normais do dia-a-dia, como calçar os chinelos
escorregadios ou caminhar sobre um chão encerado. A maioria das quedas de idosos resulta em dolorosas fraturas e longos tempos de recuperação, por isso, saiba como preveni-las:

- Evitar fios suspensos, fios muito compridos ou atravessados no chão.
- Retirar tapetes escorregadios ou equipá-los com um antiderrapante.
- Evitar encerar o chão de casa.
- Limpar imediatamente qualquer líquido/alimento entornado.
- Garantir que todas as escadas tenham um corrimão seguro.
- Instalar barras de apoio no chuveiro e ao lado do vaso sanitário.
- Afixar um tapete de borracha no chão do box.
- Colocar barras de apoio nas camas para facilitar na hora de levantar e deitar.
- Optar por uma cama mais alta, que torna mais seguros os movimentos de levantar e deitar.
- Organizar os móveis de forma a criar um espaço amplo para circular, livre de obstáculos.
- Remover objetos e móveis em excesso.
- Colocar os objetos mais utilizados nas prateleiras mais baixas dos armários, facilitando o acesso.
- Assegurar que as cadeiras usadas pelo idoso sejam altas e com apoio para os braços.
- Evitar cadeiras com rodas.
- Colocar uma cadeira no quarto, onde o idoso possa se sentar para vestir e calçar.
- Evitar calçado com solas escorregadias e vestuário muito comprido.
- Colocar luzes de presença em todas as divisões utilizadas à noite, para evitar a queda do idoso às escuras.

Fique atento sempre, pequenos cuidados evitam grande tragédias!
comente

leia também

receba novidades em seu e-mail

cadastrar

e-mail cadastrado com sucesso, obrigado!

sobre nós divulgue seu negócio desenvolvido por Julio Guimarães