Produtos e Serviços Profissionais Casas de Repouso

blog 60 mais ativa

Informação, dicas e novidades sobre o mundo da maturidade para você

Corpo e Mente
postado 18.08.2015 às 10:00 por Portal CR
Compartilhe

Firme, forte e sacudido  

Firme, forte e sacudido   

Por Maria Helena Bellini

A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios, PNAD, do IBGE, aponta em sua edição mais recente (2013) que a população acima de 65 anos soma mais de 22,3 milhões de brasileiros. Isso significa que a população de idosos está vivendo mais e, por isso mesmo, se cuidando mais.

Para garantir longevidade com saúde, entrevistamos um especialista no assunto, Dr. Patrick Rocha, clínico geral, acupunturista e médico de família, função esta em que pode acompanhar milhares de pacientes idosos para os quais direcionou sua atenção e, atualmente, auxilia também diabéticos e obesos com um treinamento específico online e um livro digital.

Portal Casas de Repouso: Quais são as melhores práticas diárias, \"as dicas de ouro\" para um envelhecimento saudável e cada vez mais feliz?

Dr. Rocha: Apesar de estar vivendo mais, o pessoal da melhor idade está vivendo mais tempo doente e sofrendo de uma forma geral. Tomando diversas medicações, sofrendo com dores diversas (coluna, artrites, dentre outras) e diversas doenças crônicas como diabetes, obesidade, pressão alta, doença de  Alzheimer, além de outras complicações decorrentes disso (infartos, derrames etc.). As dicas de ouro seriam em primeiro lugar, uma melhora da alimentação, que considero essencial. A alimentação atual está adoecendo e matando nossa população. Fazer do alimento o melhor remédio como já dizia Hipócrates há milênios, este que é considerado o pai da medicina ocidental. Outra dica é fazer atividade física regular, além de atividades como Tai Chi Chuan e Yoga, para melhorar a respiração, além de meditação.

Portal: Para quem possui doenças crônicas (diabetes, hipertensão entre outras) quais são os cuidados essenciais?

Dr. Rocha: O principal cuidado é com a alimentação. Como já falei, a alimentação atual no Brasil está completamente ultrapassada. Ainda seguem condutas baseadas na pirâmide alimentar da década de 1970, cuja base são carboidratos refinados e integrais. Para quem tem diabetes, obesidade, pressão alta e triglicerídeos elevados (a esse conjunto todo chamamos de síndrome metabólica), a alimentação atual, infelizmente recomendada por médicos e nutricionistas até hoje, é um desastre. É uma alimentação que adoece e piora a saúde de quem já está doente. Países como a Suécia e até o maior centro de diabetes do mundo que é afiliado à Universidade de Harvard já adotaram uma alimentação diferente, que já tem melhorado muito esse quadro, possibilitando a redução das diversas medicações e, em alguns casos, até sua retirada. 

Portal: Qual é o melhor cardápio para ajudar na longevidade e melhorar a disposição?

Dr. Rocha: O que chamam de alimentação balanceada é exatamente a alimentação que tem adoecido nossa população de idosos e gerado uma série de doenças que são preveníveis. É uma alimentação, como já falei, rica em carboidratos refinados e integrais (o trigo em especial), totalizando de 55 a 60% da base da alimentação. O melhor cardápio para ajudar na longevidade e melhorar a disposição, até diminuindo essa imensa quantidade de medicação que se tem tomado (um idoso hoje no Brasil toma uma média de 6 a 10 comprimidos por dia) pode ser resumido da seguinte forma:

Cortar da alimentação: trigo, açúcar, alimentos lights (repletos de açúcares disfarçados), soja, óleos vegetais poli-insaturados (soja, canola, milho, algodão, etc), margarina, sucos concentrados (industriais) e alimentos industriais de uma forma geral.

Adotar o que chamo de alimentação inteligente: Incluir alimentos que nossos antepassados até pouco comiam (lembrando que eles eram muito mais saudáveis do que nós) e foram demonizados injustamente como gorduras saturadas (carnes diversas de animais), manteiga, abacate, ovos, banha de porco. Aumentar o consumo de vegetais e folhas diversas (de preferência orgânicos), comer moderadamente tubérculos (mandioca, batata doce, beterraba, cenoura etc.). E para quem é diabético, obesidade e pressão alta, evitar o excesso de arroz, milho e tubérculos, pois eles pioram essa condição. Seria isso em termos gerais.

Portal: É preciso ter algum cuidado (restrição) com certos alimentos? Por exemplo: estamos na era do glúten free, sugar free, carbo free, lactose free? O que restringir? O que liberar?

Dr. Rocha:
Como já falei na pergunta anterior, é fundamental para quem está na terceira idade (e até pros jovens), cortarem da sua alimentação alimentos à base de trigo, que além de açúcar, contém muito glúten, sendo um veneno para a saúde. Trocar os carboidratos refinados e integrais (pães, torradas, massas em geral, barras de cereal) por carboidratos fibrosos (folhas, vegetais) e tubérculos. No caso da lactose é importante evitar o leite de uma forma geral, inclusive o sem lactose (que na verdade é rico em açúcar). A lactose é um açúcar que para quem é diabético ou obeso piora essa condição. E o pior, os alimentos lights: você paga mais caro para adoecer.

Portal: Atividade física é extremamente bem recomendada. Isso vale para todos? Por quê?

Dr. Rocha:
A atividade física é fundamental para todas as idades, inclusive para a terceira idade. Claro que cada um deve respeitar suas limitações físicas. Mas é possível para o idoso a prática de diversas atividades saudáveis interessantes, como caminhada, hidroginástica, hidroterapia, atividades que melhoram a condição cardiovascular (coração, vasos, músculos etc.). E também Yoga e Pilates, que melhoram a respiração, a força e a flexibilidade. A prática de musculação bem orientada é também muito benéfica, pois fortalece ossos, tendões e melhora a resistência do corpo, sendo fundamental para a melhor idade.

Portal: Ter uma vida social adequada, com encontros pessoais (e não apenas virtuais) com amigos e familiares também faz parte de um envelhecimento saudável, não é mesmo?

Dr. Rocha:
Sem dúvida! Uma vida social é fundamental para a saúde mental na melhor idade, contribuindo para um envelhecimento saudável. Os encontros pessoais, as atividades em grupo para prática desportiva, jogos ou até mesmo viagens em excursões, aumentam muito a qualidade de vida de quem está na terceira idade. Nesse caso mais do que nunca vale aquela máxima: corpo são, mente sã. Vida social é uma parte essencial do envelhecimento saudável.

comente

leia também

receba novidades em seu e-mail

cadastrar

e-mail cadastrado com sucesso, obrigado!

sobre nós divulgue seu negócio desenvolvido por Julio Guimarães