Produtos e Serviços Profissionais Casas de Repouso

blog 60 mais ativa

Informação, dicas e novidades sobre o mundo da maturidade para você

Saúde
postado 22.02.2018 às 12:00 por Portal CR
Compartilhe

Febre amarela: orientações para vacinação de idosos

Febre amarela: orientações para vacinação de idosos

A Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG) publicou um pronunciamento sobre a situação dos idosos frente ao atual surto de febre amarela no Brasil. Leia a seguir as orientações e o que deve ser levado em conta antes de vacinar um idoso:

 

Segundo o Guia de Vacinação elaborado pela Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG), em parceria com a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), a febre amarela, em suas formas mais severas, tem letalidade ao redor de 50%, sendo mais grave em idosos.

 

A médica geriatra Dra. Maisa Kairalla, presidente da Comissão de Vacinação da SBGG, esclarece que, por se tratar de vacina com base no vírus vivo atenuado, faz-se necessária uma avaliação clínica dos idosos antes da vacinação. “Após os 60 anos de idade, algumas pessoas apresentam queda das defesas do sistema imune (imunossenescência), um processo natural do organismo. Além disso, há aquelas que usam medicações imunossupressoras ou apresentam debilidades graves da saúde, o que reforça a importância de se haver uma avaliação médica prévia”, explica a geriatra.

 

A especialista esclarece que “caso se trate de um idoso que fica mais em casa ou mora em locais sem ocorrência da febre amarela, a melhor opção pode ser não vacinar”. Nesses casos, como medida de proteção, devem ser usados repelentes, roupas compridas e telas nas janelas para evitar o acesso do mosquito.

 

Um aspecto que deve ser levado em conta refere-se ao risco de exposição ao vírus. Se o idoso mora em uma das regiões em que há casos relatados da doença, é trabalhador rural ou viajará para área endêmica de febre amarela, a vacina poderá ser indicada após consulta médica. “Nesses casos, o risco de contágio é alto e, então, supera o risco da vacinação”, avalia Maisa.

 

Cabe lembrar que o vírus da própria vacina pode causar uma forma da doença. Há registro de um caso a cada 400 mil doses da vacina. A população idosa é mais suscetível a essa forma, que tem manifestações clínicas similares às da febre amarela. “O risco de um idoso ter esta complicação é maior do que em adultos. Sendo assim, é importante o acompanhamento médico pelos 30 dias seguintes à vacinação”, completa Maisa.

 

A vacinação contra a febre amarela está disponível nas unidades básicas de saúde ou na rede privada.

 

Fonte SBGG: http://www.sbgg-sp.com.br/pub/febre-amarela-orientacoes-para-vacinacao-de-idosos/

comente

leia também

receba novidades em seu e-mail

cadastrar

e-mail cadastrado com sucesso, obrigado!

sobre nós divulgue seu negócio desenvolvido por Julio Guimarães