Produtos e Serviços Profissionais Casas de Repouso

blog 60 mais ativa

Informação, dicas e novidades sobre o mundo da maturidade para você

Saúde
postado 10.02.2014 às 13:00 por Portal CR
Compartilhe

Calor e baixa ingestão de líquido: combinação perfeita para a incidência de infecção urinária

Calor e baixa ingestão de líquido: combinação perfeita para a incidência de infecção urinária Especialista alerta para o crescimento do número de casos no Verão e destaca cuidados para a prevenção.

Com a temperatura ultrapassando, quase diariamente, a casa dos 30°C, o Verão está surpreendendo a todos e os médicos fazem um alerta para o aumento considerável do número de casos de infecções urinárias. Segundo aponta o médico urologista Dr. Ricardo Takeshi, do Centro Médico São José, de Cerquilho (SP), nesta estação do ano, a população deve redobrar os cuidados com a hidratação e a higiene íntima. “A baixa ingestão de líquidos e a higienização inadequada da região intima contribuem para o aumento da incidência de infecções urinárias no Verão”, aponta o especialista.

A infecção urinária, doença com incidência muito comum (perde apenas para as gripes causadas por vírus), provoca ardência ao urinar, aumento da frequência e diminuição do volume urinário, dor no abdômen inferior, calafrios e, em casos mais graves, pode evoluir para dor nas costas e febre. Se não tratada adequadamente, pode comprometer os rins, causar sepse (infecção generalizada causada por germes patogênicos) e até a morte.

Devido à anatomia do corpo feminino, a doença é mais recorrente nas mulheres. De acordo com Dr. Ricardo, isto ocorre devido ao comprimento menor da uretra feminina. “Por isto, é extremamente importante as mães ensinarem as meninas a fazerem a higienização com o movimento de frente para trás, ou seja, da vagina para o ânus, para não contaminar a parte ginecológica com resíduos fecais”, frisa.

Nos homens, a incidência da doença aumenta na terceira idade, devido às alterações prostáticas. Porém, assim como nas mulheres, a má higienização também pode contribuir para a incidência da doença em qualquer idade. “Patologias, como a fimose, dificultam a higienização e podem contribuir para a infecção das mulheres, por meio da relação sexual”, ressalta o médico.

Em algumas pessoas, devido a uma alteração genética na produção de proteína na parede do trato urinário, a ocorrência de infecção é maior, por isto os cuidados com higienização e hidratação devem ser redobrados.

Nas gestantes, a incidência de infecção aumenta, devido às alterações hormonais e à expansão do volume uterino, que acaba realizando a compressão do útero sobre o ureter e a bexiga, dificultando o esvaziamento. “A infecção urinária em gestantes deve ser tratada com muita atenção, pois pode promover complicações para o bebê e para a mãe”, diz Dr. Ricardo. “As gestantes devem redobrar o cuidado com relação à hidratação para prevenir a doença”, completa.
comente

leia também

receba novidades em seu e-mail

cadastrar

e-mail cadastrado com sucesso, obrigado!

sobre nós divulgue seu negócio desenvolvido por Julio Guimarães